Citytour pelo centro histórico com visita à Casa de Câmara e Cadeia Pública, Museu Regional, Casa Ana Nery, Chafariz Imperial, Conjunto do Carmo, Santa Casa de Misericórdia, Museu e Galeria da Fundação Hansen Bahia, Capela D’Ajuda, Igreja de Nossa Senhora do Rosário, Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Monte, Igreja do Rosarinho, Cemitério dos Africanos, Casa do Samba de Dona Dalva, Pouso da Palavra, Ponte Dom Pedro II e alguns Terreiros de Candomblé. Visita aos ateliês dos artistas cachoeiranos Fory, localizado na zona rural, Doidão, Louco Filho, Mimo, Centro de Cultura e Arte.

Na zona rural, recomenda-se a visita ao Quilombo do Caonge e as localidades de Santiago do Iguape e São Francisco do Paraguaçu.

O turista também pode optar por um passeio de barco pelo Rio Paraguaçu até a Lagamar do Iguape.

 
Ponte Dom Pedro II

Cartão postal da cidade de Cachoeira, a Ponte Dom Pedro II vai de uma margem a outra do Rio Paraguaçu. São 365 metros que ligam as cidades de Cachoeira e São Félix. Devido a sua largura, a Ponte só permite o tráfego em uma direção.


Cais do Rio Paraguaçu

Foi um dos portos mais movimentado do país utilizado para o escoamento da produção do açúcar produzido nos engenhos do Recôncavo, e do fumo. Enquanto perdurou a escravidão no país, também foi ponto de desembarque de negros trazidos da África.


Casa de Câmara e Cadeia Pública

Construída nos primeiros anos do século XVIII, a Casa funcionou como sede do Governo da Bahia nos anos de 1837 e 1838, por ocasião da revolta da Sabinada. Da sua sacada é possível enxergar a Praça da Aclamação e alguns sobrados que compõe a cidade de Cachoeira. Situado na parte plana da cidade, a Casa de Câmara e Cadeia funciona a Câmara de Vereadores no pavimento superior e, a antiga cadeia, na parte térrea, abriga o Museu da Câmara.


Casa Natal de Ana Nery

Nela nasceu, em 1814, Ana Justina Ferreira Nery, a heroína baina que serviu como enfermeira na Guerra do Paraguai. A construção, da segunda metade do século XVIII, compõe com outros sobrados o núcleo urbano setecentista da cidade.


Casa de Augusto Teixeira de Freitas

Este imóvel é uma reconstrução histórica destinada a perpetuar a memória do jurista Augusto Teixeira de Freitas, na casa onde nasceu. A construção, em três pavimentos, é exemplar significativo da arquitetura colonial de Cachoeira, de grande importância histórica e onde, atualmente, funciona o Arquivo Público da cidade.


Casa da Rua Benjamim Constant, nº 17

Construído na transição do século XVIII para o XIX, atualmente, o edifício abriga o Arquivo Regional. Apresenta planta com salas voltadas para a rua, corredores e alcovas. A varanda, com gradil em treliça, revela a influência árabe e é um elemento recorrente nas casas de Cachoeira.


Casa da Rua 13 de Maio, n° 13

Um dos maiores sobrados da cidade, de elevado valor histórico e arquitetônico, o prédio que abriga a Fundação Cultural Hansen Bahia hospedou Dom Pedro II, em sua passagem pela cidade da primeira metade do século XIX e o último, da seguinte.


Casa da Rua Ana Nery, nº 01

Denominada de Solar da Estrela, devido às suas dimensões avantajadas e ao requinte no tratamento de seus espaços internos, essa casa servia para armazenar mercadorias que deveriam permanecer acima do nível das cheias dos rios, no período das inundações. 


Casa da Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte

Conjunto formado por três sobrados antigos, interligados, com capela, salão para eventos e exposições no pavimento superior, pequeno memorial na parte térrea com fotografias e textos sobre a história da confraria. Local onde fica a secular Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte, composta por mulheres negras que realiza sua festa anual no mês de agosto.


Chafariz Imperial

Construído no final do século XVIII, o chafariz foi uma fonte de abastecimento de água para a cidade por muitos anos. Obra com traços neoclássicos apresenta em sua decoração, na parte superior, o símbolo do Império. Já na parte inferior, preserva as sete carrancas de ferro fundido de onde jorravam a água.


Conjunto do Carmo

O Conjunto do Carmo é formado pelo Convento e pela Igreja da Ordem Terceira do Carmo e possui elevado valor monumental. O interior da Igreja é revestido de azulejos figurados e talha dourada e, além disso, os visitantes podem apreciar o brasão da Ordem no teto da capela. Algumas tampas das carneiras do cemitério são de madeira decoradas e para garantir a beleza do espaço, existe um altar de estuque destacando o Convento.


Estação Rodoviária

Monumento em estilo neogótico, guarda ainda detalhes da arquitetura original e lembranças da época em que era a mais movimentada estação rodoviária do interior baiano, de onde partiam diariamente trens de cargas e de passageiros para o Sertão.


Fórum Augusto Teixeira de Freitas

Imóvel que funcionou como fábrica de calçados, em 1943, e foi destruído por um incêndio. No final da década de 80, foi restaurado para abrigar ao Fórum Augusto Teixeira de Freitas, mantendo as características originais da arquitetura.


Fundação Hansen Bahia

Um dos maiores sobrados da cidade, de elevado valor histórico e arquitetônico, o prédio que abriga a Fundação e o Museu Hansen Bahia hospedou o imperador Dom Pedro II, a princesa Isabel e seu esposo, o conde D’Eu, na inauguração da Ponte D. Pero II. O Museu conserva um acervo de obras em xilogravura do artista alemão naturalizado brasileiro Karl Hansen.


Mercado Municipal

Edifício construído no início século XX onde é comercializado produtos regionais. No mezanino, funcionam bares e restaurantes que vendem comidas típicas.


Quarteirão Leite Alves

Nos fins do século XIX, foi instalada a Fábrica de Charutos Leite Alves e, hoje, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) está instalada no local.


Solar dos Adorno

Imóvel construído pela família de Paulo Dias Adorno, fundador de Cachoeira, referência do início da formação do núcleo urbano da cidade. No local, atualmente, funciona a Prefeitura Municipal.
Citytour pelo centro histórico com visita à Casa de Câmara e Cadeia Pública, Museu Regional, Casa Ana Nery, Chafariz Imperial, Conjunto do Carmo, Santa Casa de Misericórdia, Museu e Galeria da Fundação Hansen Bahia, Capela D’Ajuda, Igreja de Nossa Senhora do Rosário, Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Monte, Igreja do Rosarinho, Cemitério dos Africanos, Casa do Samba de Dona Dalva, Pouso da Palavra, Ponte Dom Pedro II e alguns Terreiros de Candomblé. Visita aos ateliês dos artistas cachoeiranos Fory, localizado na zona rural, Doidão, Louco Filho, Mimo, Centro de Cultura e Arte.

Na zona rural, recomenda-se a visita ao Quilombo do Caonge e as localidades de Santiago do Iguape e São Francisco do Paraguaçu.

O turista também pode optar por um passeio de barco pelo Rio Paraguaçu até a Lagamar do Iguape.
 
Ponte Dom Pedro II
Cartão postal da cidade de Cachoeira, a Ponte Dom Pedro II vai de uma margem a outra do Rio Paraguaçu. São 365 metros que ligam as cidades de Cachoeira e São Félix. Devido a sua largura, a Ponte só permite o tráfego em uma direção.

Cais do Rio Paraguaçu
Foi um dos portos mais movimentado do país utilizado para o escoamento da produção do açúcar produzido nos engenhos do Recôncavo, e do fumo. Enquanto perdurou a escravidão no país, também foi ponto de desembarque de negros trazidos da África.

Casa de Câmara e Cadeia Pública
Construída nos primeiros anos do século XVIII, a Casa funcionou como sede do Governo da Bahia nos anos de 1837 e 1838, por ocasião da revolta da Sabinada. Da sua sacada é possível enxergar a Praça da Aclamação e alguns sobrados que compõe a cidade de Cachoeira. Situado na parte plana da cidade, a Casa de Câmara e Cadeia funciona a Câmara de Vereadores no pavimento superior e, a antiga cadeia, na parte térrea, abriga o Museu da Câmara.

Casa Natal de Ana Nery
Nela nasceu, em 1814, Ana Justina Ferreira Nery, a heroína baina que serviu como enfermeira na Guerra do Paraguai. A construção, da segunda metade do século XVIII, compõe com outros sobrados o núcleo urbano setecentista da cidade.

Casa de Augusto Teixeira de Freitas
Este imóvel é uma reconstrução histórica destinada a perpetuar a memória do jurista Augusto Teixeira de Freitas, na casa onde nasceu. A construção, em três pavimentos, é exemplar significativo da arquitetura colonial de Cachoeira, de grande importância histórica e onde, atualmente, funciona o Arquivo Público da cidade.

Casa da Rua Benjamim Constant, nº 17
Construído na transição do século XVIII para o XIX, atualmente, o edifício abriga o Arquivo Regional. Apresenta planta com salas voltadas para a rua, corredores e alcovas. A varanda, com gradil em treliça, revela a influência árabe e é um elemento recorrente nas casas de Cachoeira.

Casa da Rua 13 de Maio, n° 13
Um dos maiores sobrados da cidade, de elevado valor histórico e arquitetônico, o prédio que abriga a Fundação Cultural Hansen Bahia hospedou Dom Pedro II, em sua passagem pela cidade da primeira metade do século XIX e o último, da seguinte.

Casa da Rua Ana Nery, nº 01
Denominada de Solar da Estrela, devido às suas dimensões avantajadas e ao requinte no tratamento de seus espaços internos, essa casa servia para armazenar mercadorias que deveriam permanecer acima do nível das cheias dos rios, no período das inundações. 

Casa da Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte
Conjunto formado por três sobrados antigos, interligados, com capela, salão para eventos e exposições no pavimento superior, pequeno memorial na parte térrea com fotografias e textos sobre a história da confraria. Local onde fica a secular Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte, composta por mulheres negras que realiza sua festa anual no mês de agosto.

Chafariz Imperial
Construído no final do século XVIII, o chafariz foi uma fonte de abastecimento de água para a cidade por muitos anos. Obra com traços neoclássicos apresenta em sua decoração, na parte superior, o símbolo do Império. Já na parte inferior, preserva as sete carrancas de ferro fundido de onde jorravam a água.

Conjunto do Carmo
O Conjunto do Carmo é formado pelo Convento e pela Igreja da Ordem Terceira do Carmo e possui elevado valor monumental. O interior da Igreja é revestido de azulejos figurados e talha dourada e, além disso, os visitantes podem apreciar o brasão da Ordem no teto da capela. Algumas tampas das carneiras do cemitério são de madeira decoradas e para garantir a beleza do espaço, existe um altar de estuque destacando o Convento.

Estação Rodoviária
Monumento em estilo neogótico, guarda ainda detalhes da arquitetura original e lembranças da época em que era a mais movimentada estação rodoviária do interior baiano, de onde partiam diariamente trens de cargas e de passageiros para o Sertão.

Fórum Augusto Teixeira de Freitas
Imóvel que funcionou como fábrica de calçados, em 1943, e foi destruído por um incêndio. No final da década de 80, foi restaurado para abrigar ao Fórum Augusto Teixeira de Freitas, mantendo as características originais da arquitetura.

Fundação Hansen Bahia
Um dos maiores sobrados da cidade, de elevado valor histórico e arquitetônico, o prédio que abriga a Fundação e o Museu Hansen Bahia hospedou o imperador Dom Pedro II, a princesa Isabel e seu esposo, o conde D’Eu, na inauguração da Ponte D. Pero II. O Museu conserva um acervo de obras em xilogravura do artista alemão naturalizado brasileiro Karl Hansen.

Mercado Municipal
Edifício construído no início século XX onde é comercializado produtos regionais. No mezanino, funcionam bares e restaurantes que vendem comidas típicas.

Quarteirão Leite Alves
Nos fins do século XIX, foi instalada a Fábrica de Charutos Leite Alves e, hoje, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) está instalada no local.

Solar dos Adorno
Imóvel construído pela família de Paulo Dias Adorno, fundador de Cachoeira, referência do início da formação do núcleo urbano da cidade. No local, atualmente, funciona a Prefeitura Municipal.